Índice Glicêmico: Entenda o que é, Como controlar e o que ele afeta em seu organismo

Compreenda melhor a função da glicemia e saiba como mantê-la nos níveis ideais.

A quantidade de açúcar existente na corrente sanguínea é denominada glicemia e, embora o termo não seja tão conhecido assim, é muito fácil compreender a sua função, Glicemia é a dosagem de açúcar livre circulando no sangue, que está disponível para absorção pelas células, atuando na produção de energia dentro delas

Partindo do princípio de que o organismo precisa de energia para desempenhar cada urna de suas funções, é possível afirmar que uma dieta pobre em açúcares pode prejudicar o funcionamento do corpo, já que, assim como os outros tipos de nutrientes, essas substâncias precisam estar em equilíbrio para que nenhum órgão seja prejudicado. 

No entanto, ter essas propriedades em quantias elevadas também é prejudicial ao corpo, podendo desencadear uma série de sintomas e complicações futuras. Os dois problemas mais conhecidos relacionados à falta.

O que é hipoglicemia?

Podendo ocorrer em pessoas que fazem o uso de insulina e de medicamentos que aumentam a sua produção, o problema é caracterizado pela diminuição dos níveis de açúcar no sangue. 

Os sintomas iniciais mais típicos desse problema são palpitações, suor frio e tremores. 

Caso esses sinais não sejam percebidos a tempo e controlados, alguns sintomas neurológicos poderão surgir: confusão mental, agitação e, até mesmo, convulsões e estágio de coma (em casos bastante severos) poderão ocorrer. 

Em alguns casos – principalmente nas pessoas que convivem com o diabetes há bastante tempo – os pacientes podem deixar de apresentar as manifestações iniciais do quadro de hipoglicemia, que pode ser chamada de “hipoglicemia sem aviso”. 

Por isso, as alterações neurológicas severas podem ocorrer de repente, necessitando de cuidados imediatos e especiais com o paciente. 

O tratamento da hipoglicemia é uma urgência. Nos casos em que o paciente já diagnosticado com diabetes se apresenta em coma, deve ser fornecido tratamento imediato, independentemente da confirmação através da medida da glicose no sangue. 

Nos casos leves, e quando há possibilidade de medir-se a glicose, essa atitude deve ser feita imediatamente para confirmar o diagnóstico e, logo após, instituir medidas terapêuticas.

O que causa a Hiperglicemia?
O que causa a Hiperglicemia?

O que causa a Hiperglicemia?

O distúrbio é o resultado do consumo exagerado de alimentos com alto índice glicêmico (que podem ser sorvete, biscoitos, alimentos à base de farinha branca, doces em entre outros). Entre os principais os sintomas do problema estão: 

  • vista embaçada
  • vontade exagerada de beber água e urinar
  • zumbidos no ouvido. 

A hiperglicemia é o quadro geral do diabetes tipo 1, e o excesso de açúcar sanguíneo, somado à sua toxicidade levam a lesões micro e macrovasculares, como alterações na capacidade visual, na função renal e cardíaca. Já na hipoglicemia (queda brusca em até 50% da glicemia inicial), o paciente pode até chegar a desmaiar.

Leia tambémCombata o Diabetes com Banana Verde Mantendo a Glicemia no Nível Ideal

Qual a importância do controle glicêmico?

As consequências de uma glicemia descontrolada podem ser muitas! Por essa razão, para que complicações sejam evitadas, é necessário prestar muita atenção aos seus níveis, monitorando-os com a frequência indicada pelo médico. 

Listamos alguns dos riscos que a saúde corre quando os níveis de açúcar estão fora de controle, como você confere a seguir: 

Cetoacidose

Esse problema ocorre quando o organismo não tem insulina o suficiente e, sem a substância, o organismo não consegue utilizar a glicose corno com-bustível, passando a quebrar as moléculas de gordura para gerar energia, o que pode resultar em um risco de morte. 

Alterações no sistema nervoso

A neuropatia diabética, complicação que afeta as células nervosas (inclusive nervos periféricos), está associada a lesões de fibras nervosas grossas, podendo desencadear alterações na sensação vibratória e perda da sensibilidade protetora dos pés. 

Outras disfunções causadas pela falta do controle da glicemia

Também podem ser prejudicados os sistemas digestivo, urinário, e reprodutor, além de urna alteração controle da pressão arterial e do coração. 

Outro problema possível é a retinopatia, complicação que pode causar perda irreversível de visão se não tratado precocemente. 

Por isso, é ideal que o diabético visite o oftalmologista ao menos uma vez por ano, a fim de realizar os exames preventivos necessários.

Hormônios alterados 

Sabia que, quem convive com a hiperglicemia também pode sofrer com alguns problemas hormonais? Devido a isso, caso alguma diferença no corpo seja notada, o ideal é buscar o apoio de um endocrinologista. 

Normalmente, os níveis de insulina se elevam e, com isso, é comum que os níveis de outros hormônios se alterem, como o estradiol em homens. 

Estradiol é um hormônio feminino que, quando em excesso, é extremamente prejudicial à saúde masculina. 

Fator emocional

O estresse também pode funcionar como um gatilho a mais no descontrole da glicemia. 

Uma situação estressante provoca no organismo a liberação de vários hormônios, como adrenalina, glucagon e cortisol. 

Todos esses têm uma ação contrária à ação da insulina e, portanto, podem aumentar a glicose no sangue de pacientes com diabetes mellitus e descompensar um paciente que estava bem antes do estresse”. 

A carga glicêmica é um conceito semelhante ao do índice glicêmico, só que leva a aguentar as porções consumidas. A fórmula consiste em dosar o número de gramas de carboidratos na porção, multiplicar pelo IG e dividir por 100. Teoricamente, é um alimento que tem carga glicêmica de um ponto, ele eleva o açúcar no sangue, tanto quanto um grama de glicose.

O que é índice glicêmico? 

Conhecido como um dos métodos mais eficazes para facilitar a vida de quem convive com o diabetes, o índice glicêmico foi desenvolvido por David Jenkins, pesquisador da Universidade de Toronto, no ano de 1981.

O intuito da técnica é mostrar uma quantidade fixa de carboidratos que cada alimento contém, tomando como base um alimento “padrão”, que, no caso, pode ser o pão branco ou o próprio açúcar. 

O número obtido (por meio de uma análise da curva glicêmica produzida por 50g de um determinado alimento em relação à curva de 50g de carboidrato do pão ou do açúcar) é denominado índice glicêmico, cujo número que nada mais é do que a velocidade com a qual o açúcar consegue atingir a corrente sanguínea. 

Para entender sua classificação, basta se atentar aos números a seguir.

Tabela de índice glicêmico dos alimentos

AlimentoIG – Índice Glicêmico
Abacaxi59
All Bran®60
Ameixa39
Amendoim21
Arroz branco cozido23
Arroz integral cozido18
Arroz parboilizado68
Aveia78
Banana prata52
Batata comum assada26
Batata comum cozida17
Batata doce77
Biscoito águo e sal11
Biscoito cookies6
Cereja22
Corn Flakes119
Cuzcuz93
Damasco31
Ervilhas68
Farinha de trigo99
Feijão-carioca cozido69
Feijão-manteiga cozido44
Inhame73
Kiwi53
Laranja42
Leite integral39
Leite desnatado46
Lentilhas38
Maçã argentina38
Macarrão espaguete20
Mamão papaia59
Mandioca cozida12
Manga Bordon51
Melancia72
Milho98
Mingau de aveia87
Morango40
I Musli®80
Pão francês10
Pão integral9
Pera38
Pêssego natural42
Pêssego enlatado67
Pipoca79
Pizza de queijo16
Soja23
Sopa de feijão84
Sopa de tomate54
Sorvete Suco de laranja52
Suco de maçã58
Tapioca115
Trigo cozido105
Uva Itália46

Gostou? Comenta aqui oque Achou!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As informações e sugestões contidas neste site são meramente informativas e não devem substituir consultas com médicos especialistas, qualquer exercício ou dieta deve ser iniciado somente apos a consulta com um especialista. © Copyright Dieta e Dietas 2021