Dieta Macrobiótica – Coma Alimentos não Processados e Ganhe Saúde

Dieta Macrobiótica – Coma Alimentos não Processados e Ganhe Saúde

A dieta macrobiótica parte do principio que a comida e a sua qualidade tem um efeito maior nas nossas vidas do que estamos acostumados a pensar. Os praticantes da dieta macrobiótica acreditam que a alimentação tem um efeito na nossa saúde física, mas também na nossa felicidade e no nosso bem-estar mental e físico.

Aqueles que seguem a dieta macrobiótica acham que os alimentos naturais, com pouco ou nenhum processamento são as melhores escolhas alimentares.

Além disso, acreditam em métodos tradicionais para cozinhar e tem um gosto especial de cozinhar para eles próprios e para os familiares e amigos. Esta não é uma dieta para emagrecer, é uma dieta para um estilo de vida saudável e equilibrado. Ela faz emagrecer, mas há formas mais fáceis de fazê-lo pois nem todas as pessoas querem modificar radicalmente os seus hábitos alimentares.

Traduzido à letra, macrobiótica significa “grande vida”. Os médicos e filósofos de todo o mundo associam a macrobiótica com uma vida em harmonia com a natureza enquanto se come alimentos simples e de forma equilibrada e balanceada. Na década de 1920, George Ohsawa, o fundador da macrobiótica moderna afirmou que se tinha curado de uma doença séria através da dieta e filosofia macrobiótica.

Ohsawa acreditava na filosofia chinesa do Yin e Yang. O Yin representa o movimento centrífugo para o exterior, e o Yang representa o movimento centrífugo para o interior. O Yin e Yang são sempre opostos, sendo o Yin o doce, frio e passivo e o Yang é o salgado, quente e agressivo. Na dieta macrobiótica, o Yin e o Yang devem estar sempre em equilíbrio para uma vida saudável.

Como este equilíbrio do Yin e Yang é uma base da dieta macrobiótica, os alimentos são classificados com um ou outro. Esta divisão é feita a partir das características, sabores e efeitos dos alimentos.

Os cereais ou vegetais não são fortes em Yin ou Yang. Desta maneira tornam-se especialmente importantes na dieta macrobiótica. Estes alimentos mais neutros facilitam o equilíbrio entre Yin e Yang, e os alimentos que são fortes em Yin ou Yang devem ser evitados na dieta macrobiótica.

salada para a Dieta Macrobiótica

Todos os alimentos da dieta macrobiótica devem ser orgânicos, ou seja, livres de químicos e pesticidas. Cereais integrais, como a cevada, arroz integral, aveia, centeio, trigo integral e o fagópiro são os alimentos mais equilibrados na dieta macrobiótica. Estes alimentos compõem entre 50 e 60% da alimentação desta dieta. Os cereais integrais são os de eleição na dieta, mas pequenas porções de pão e massa a partir de cereais refinados são aceitáveis.

Vegetais frescos compõem entre 25 e 30% da dieta macrobiótica. Brócolos, repolho, couve-flor, couve, rabanetes, cebola e a abóbora são os principais vegetais incluídos na dieta. A alface, aipo, ervilhas, cogumelos e o feijão devem ser incluídos na dieta duas ou três vezes por semana. Na dieta macrobiótica os vegetais devem ser cozinhados levemente a vapor ou podem ser salteados em óleo não refinado, pode ser em óleo de milho ou de sésamo.

5 a 10% dos alimentos da dieta macrobiótica consistem em vegetais do mar ou feijão. Tofu e lentilhas são recomendadas. Os vegetais do mar (algas) devem também ser incluídos na dieta. Estes vegetais são ricos em vitaminas e minerais.

As sopas compõem também 5 a 10% da dieta macrobiótica e devem ter soja, feijão e vegetais.

Algumas porções de sementes, amêndoas e peixe fresco (como o linguado e o bacalhau) podem ser comidos uma vez por semana. Os adoçantes que podem ser utilizados nesta dieta são o malte e xarope de arroz. Vinagre de arroz integral e de ameixa podem também ser utilizados ocasionalmente. O molho de soja Tamari e sal marinho podem ser utilizados para dar sabor às sopas e aos cereais.

As bebidas geralmente aceites na dieta macrobiótica são os chás feitos de dentes de leão verdes, cereais torrados, ou água que sobrou de preparar as massas. Os chás que contem cafeína ou aromas são inaceitáveis. Além disso, toda a água para cozinhar ou beber deve ser purificada antes de consumir ou utilizar.

Alimentos como ovos e lacticínios são alimentos com muito Yang. O chocolate, açúcares refinados, frutas tropicais, café, sumo de fruta, refrigerantes e especiarias fortes são fortes em Yin. Assim todos estes alimentos devem ser evitados na dieta macrobiótica. Todos os alimentos com adoçantes ou sabores artificiais, conservantes e corantes devem também ser evitados.

A dieta macrobiótica é uma das dietas mais radicais e difíceis de seguir. Não é uma dieta para emagrecer rapidamente e esquecer, pois a maioria das pessoas não tem a força mental e a paciência fazer um regime com tantas regras e detalhes. Além disso, esta dieta é difícil de seguir hoje em dia, não é fácil nem econômico comprar todos os alimentos orgânicos e sem pesticidas. A dieta macrobiótica é sem dúvida saudável, mas não é das mais fáceis.

Dieta Macrobiótica

Dieta Macrobiótica Ajuda a Emagrecer?

A dieta macrobiótica tem vários pontos positivos porque leva ao consumo elevado de vegetais e evita o consumo de bebidas açucaradas e álcool. Apesar disso é um regime alimentar com muitos carboidratos e muitos cereais, o que não ajuda ao emagrecimento. Comer pouca proteína leva à fadiga e alguma fraqueza, especialmente se a dieta não for seguida consoante as suas regras (no caso da pessoa ingerir alimentos com muito açúcar e carboidratos).

Esta dieta tem muitas regras e não é fácil de seguir. Não recomendo esta dieta para emagrecer devido à complexidade e poucos resultados no que toca à perda de gordura. Uma das maiores críticas que tenho à dieta macrobiótica é o consumo elevado de cereais e pouca proteína de alimentos de origem animal.

Gostou? Então Compartilhe a Matéria

Curtiu? Então Comenta!!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome*
E-mail*