Veja como Aliviar a Dor de Cabeça e Aprenda a Acabar com a Cefaleia

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 103
  •  
    104
    Shares
Veja como Aliviar a Dor de Cabeça e Aprenda a Acabar com a Cefaleia

Pesquisadores da Universidade do Mississipi (EUA) publicaram os resultados de um estudo que, em 2013, reviu e comparou dados de vários centros especializados sobre prevalência, impacto e tratamento de cefaleias e dores de cabeça graves naquele país.

Concluíram que, em 2011, cerca de 20% dos adultos com idade superior aos 18 anos tiveram algum episódio de enxaqueca no período de três meses anteriores à pesquisa.

Quando investigados os motivos pelos quais as pessoas procuraram ajuda médica em um pronto-socorro, a dor de cabeça classificou-se em 59 lugar.

Se o paciente é do sexo feminino, o problema sobe para o 39 posto entre as queixas mais comuns. Além do devido acompanhamento médico, ter mais informação sobre o problema pode ajudar a encontrar soluções que garantam qualidade de vida.

Esclareça as dúvidas mais comuns sobre as dores de cabeça e ainda veja um plano alimentar que pode ser facilmente adotado.

Como a atividade física é considerada remédio para quem tem dor crônica, sugerimos práticas que podem impactar positivamente sua rotina. Livre-se desse mal-estar que impede que você tenha vida em abundância.

Por que dor de cabeça não passa?

Dor de cabeça e não é tudo igual. Tampouco as cefaleias podem ser classificadas como uma doença simples, como parece.

90% delas são do tipo funcional e pertencem ao das dores primárias, ou seja, a manifestação dolorosa é a própria enfermidade, causada por diferentes motivos.

Exemplos das dores de cabeça são as cefaleias e a enxaqueca.

O segundo grupo é composto por aquelas ocasionadas por variados problemas de saúde que afetam o cérebro. Classificadas como dores secundárias, elas se relacionam a causas orgânicas, ou seja, são consequências de outras doenças no organismo.

Uma gripe, por exemplo, pode desencadear uma dor secundária, provocada pela presença de um vírus no corpo. Porém, podendo ter partido de casos mais graves, essas cefaleias dependem obrigatoriamente de um acompanhamento médico.

Dor de cabeça é diferente, e cada uma dela tem uma solução

Porém, se a dor é tensional e sem grande frequência, as soluções podem ser não medicamentosas. Isso significa que é possível gerenciá-la sem a presença maciça de remédios, o que, aliás, é fortemente recomendado pelos especialistas.

Você irá descobrir que o uso excessivo de analgésicos, particularmente quando utilizados sem prescrição médica, pode fazer com que o problema se torne crônico.

A alimentação é outro fator que pode impactar a prevenção e o tratamento das dores de cabeça. Aquilo que você ingere (além do quanto e quando consome) é um forte motivo para o surgimento de uma dor ou para o desaparecimento dela.

Com uma dieta adequada, é possível ainda diminuir os intervalos das ocorrências das dores de cabeça, ou seja, tornar as queixas menos frequentes, uma grande conquista para quem sofre com o problema.

Exercícios físicos podem ajudar no processo de controle desse mal. A prática mais indicada é a modalidade aeróbica, principalmente as caminhadas e corridas leves.

Outras atividades também podem contribuir com o quadro de melhora. Mas não só. Interação social e combate ao estresse têm importância considerável no tratamento.

Ter mais informação e adotar um estilo de viver que garanta melhor qualidade de vida pode ser o primeiro passo para o desaparecimento dessa patologia, que afeta milhões ao redor do globo

90% das pessoas de todo mundo terão dor de cabeça, pelo menos uma vez na vida. A alta incidência do sintoma é um indicativo da grande abrangência e variedade das causas para as cefaleias.

Existem mais de 150 tipos de dores de cabeça, segundo a atual classificação internacional, como você saberá a seguir.

De onde vem e o que é a dor de cabeça

De onde vem e o que é a dor de cabeça e a cefaleia

Atual Classificação Internacional (CHD-ll beta), publicada no de 2013, descreve centenas de dores definidas como cefaleias.

Todas essas dores podem ser distintas entre primárias ou seja, quando elas próprias são a doença, e secundárias quando são causadas por outras enfermidades.

Felizmente, quase 90% das dores de cabeça existentes pertencem ao primeiro grupo: elas são funcionais, manifestam-se de modo independente, e não orgânicas como aquelas que advêm de outros problemas fisiológicos.

Um exemplo clássico de dor de cabeça seja, considerada de tipo comum é a incômoda enxaqueca.

As cefaleias não são todas iguais: atualmente, são classificadas mais de 250 tipos de dores de cabeça, com causas, sintomas e tratamentos distintos entre eles.

Os demais 10% das dores de cabeça orgânicas compreendem os inúmeros outros tipos de cefaleia que aparecem como consequência secundária de outras doenças.

Entre elas, estão dores causadas por problemas simples, como gripes, até aquelas decorrentes de males perigosos, incluindo alguns causados por doenças graves da própria cabeça, como os tumores no cérebro, ou ainda de outras partes do corpo.

Não obstante essas dores sejam a minoria, todo médico deve, primeiro, preocupar-se em afastar e excluir essas dores orgânicas. Isso porque elas podem levar a óbito se não tiverem as suas devidas causas tratadas a tempo.

As dores de cabeça tem vários tipos e várias causas

O grande número de tipos de dor de cabeça representa as diferentes causas para ela. Os sintomas também serão variáveis, de acordo com a modalidade de dor.

A cefaleia tensional é o tipo mais comum que existe. Por não ser tão intensa e incapacitante, faz com que seus portadores, mesmo crônicos, não procurem tanto a ajuda médica como, por exemplo, fazem os sofredores de enxaqueca.

Já na enxaqueca a dor aparece porque há inflamação de artérias da cabeça, quando o processo de crise se inicia no cérebro. Essa é uma doença cuja origem é tipicamente genética.

Outro tipo de dor de cabeça primária identificada na literatura médica é a dor de cabeça em salvas. Trata-se da categoria mais intensa descrita pelos especialistas.

Os indivíduos que sofrem do problema costumam caracterizá-lo como violentas “facadas”.

Essa não é uma modalidade tão comum quanto as outras dores de cabeça orgânicas, como as enxaquecas e as do tipo tensional: a cefaleia em salvas compromete de 0.1 a 0,4% da população apenas, sendo que os homens são mais acometidos do que as mulheres.

Seja qual for o tipo do problema, o diagnóstico é sempre clínico.

A importância da boa alimentação para acabar com as dores de cabeça

A importância da boa alimentação para acabar com as dores de cabeça e a cefaleia

É na mudança de hábitos, principalmente alimentares, que se encontra a solução definitiva para esse mal.

Para aqueles que investem na busca de hábitos saudáveis e qualidade de vida, o tratamento das cefaleias tende a responder bem quando se adota uma dieta equilibrada.

Antes de saber o quê, quando e como comer, deve-se também prestar atenção aos alimentos que o portador de dor de cabeça não deve ingerir. Entre eles estão embutidos, farinha branca em excesso, adoçantes, conservas, defumados, queijos amarelos em excesso, cafeína e outros.

A tiramina, presente em boa parte des ses alimentos, é o inimigo número um de quem apresenta suscetibilidade às cefaleias. Mantenha-se longe de salame, salsicha e linguiça, por exemplo.

Dieta fracionada para acabar com a dor de cabeça

Outra regra básica é fracionar as refeições, oferecendo alimento ao organismo a cada quatro horas, pelo menos.

A mudança de hábitos, principalmente alimentares, pode ajudar na diminuição das ocorrências de crises de dores de cabeça. Aposte em alimentos funcionais e numa dieta leve para afastar as cefaleias

Assim, evita-se a hipoglicemia (queda de açúcar no sangue causada por falta de alimentação durante muitas horas seguidas), que é um propulsor de enxaqueca.

Porém, atenção: as porções devem ser pequenas e leves, pois comida em excesso tende ser outro motivo desencadeador das dores de cabeça.

Manter boa digestão e o trânsito intestinal equilibrados é mais uma atitude fundamental para quem sofre com cefaleias.

Organismo em equilíbrio, cabeça mais tranquila: é a fórmula A dica dos especialistas é incluir no cardápio sucos de frutas naturais, chás calmantes (flores de lavanda, maracujá e erva-cidreira são bons), água em abundância e leites de aveia, arroz e soja light por exemplo.

Para turbinar a dieta na luta contra a dor de cabeça, conte com a ajuda de alguns nutrientes específicos, funcionais contra dores de cabeça.

Estão entre eles: ácidos graxos essenciais, anti-histamínicos, triptofano, vitamina B2 e B12, selênio e coenzima Q10.

A seguir, apresentamos 10 superalimentos que possuem alguns desses poderosos elementos, que, segundo médicos e nutricionistas, são preventivos e podem ajudar a diminuir as ocorrências das crises de dor de cabeça. Aposte neles!

Curtiu? Então Comenta!!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não Perca nossos  SORTEIOS , Cadastre seu e-mail

Cadastre seu e-mail e além de participar dos sorteios que estamos preparando, receba nossas atualizações diretamente em seu e-mail :-)
Cadastre-se 
Não perca esta chance!!!
close-link