4 Doenças que Causam Inflamação no Corpo, Causas e Como Prevenir

  •  
  •  
  •  
  •  
  • 11
  •  
    11
    Shares
4 Doenças que Causam Inflamação no Corpo, Causas e Como Prevenir

Você sabia que existem muitas outras doenças que causam inflamação no corpo e geram dores frequentes? As inflamações não são específicas de uma parte do corpo, ou seja, podem afetar diversas regiões e órgãos. Então, o processo inflamatório pode ser originado em qualquer lugar: pele, fígado, intestino, boca, coração, cérebro. Inflamação é uma reação do organismo mediada pelo sistema imunológico ou de defesa, que consiste na liberação de diversas substâncias químicas nos tecidos e cujos sintomas são edema ou inchaço, rubor, calor e dor. A inflamação ocorre em reação à invasão por micro-organismos, por agressões ou ferimentos, inclusive cirúrgicos, quando comemos alimentos refinados, com substâncias sintéticas, gorduras trans e, em alguns casos, nas doenças autoimunes, em que o sistema imunológico produz substâncias que irão atacar nossos próprios órgãos e tecidos, em doenças como a artrite reumatoide, lúpus, tireoidite, diabetes mellitus e outras. Falando em doenças, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre algumas que, assim como a ciatalgia, podem gerar incômodos constantes em decorrência dos processos inflamatórios. Lombalgia  Esse é um termo usado para conceituar uma dor na lombar, a parte mais baixa da coluna. Seria uma resposta natural do organismo a sobrecarga ou a doenças degenerativas da…

Você sabia que existem muitas outras doenças que causam inflamação no corpo e geram dores frequentes?

As inflamações não são específicas de uma parte do corpo, ou seja, podem afetar diversas regiões e órgãos. Então, o processo inflamatório pode ser originado em qualquer lugar: pele, fígado, intestino, boca, coração, cérebro.

Inflamação é uma reação do organismo mediada pelo sistema imunológico ou de defesa, que consiste na liberação de diversas substâncias químicas nos tecidos e cujos sintomas são edema ou inchaço, rubor, calor e dor.

A inflamação ocorre em reação à invasão por micro-organismos, por agressões ou ferimentos, inclusive cirúrgicos, quando comemos alimentos refinados, com substâncias sintéticas, gorduras trans e, em alguns casos, nas doenças autoimunes, em que o sistema imunológico produz substâncias que irão atacar nossos próprios órgãos e tecidos, em doenças como a artrite reumatoide, lúpus, tireoidite, diabetes mellitus e outras.

Falando em doenças, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre algumas que, assim como a ciatalgia, podem gerar incômodos constantes em decorrência dos processos inflamatórios.

Lombalgia

Lombalgia 

Esse é um termo usado para conceituar uma dor na lombar, a parte mais baixa da coluna. Seria uma resposta natural do organismo a sobrecarga ou a doenças degenerativas da coluna. Há, ainda, outras condições médicas que podem cursar com sintomas de dores lombares.

Normalmente, ela é resolvida pelo tempo e por tratamento não cirúrgico.

E como é feito o diagnóstico de lombalgia? Quase sempre uma conversa com o médico basta para diagnosticar o problema, não sendo necessária a realização de exames. Porém, uma radiografia simples pode ser requerida para a confirmação da análise.

Como se prevenir da lombalgia? 

A origem da dor lombar pode ter ligação com problemas relacionados a alterações urinárias, intestinais, ginecológicas e até emocionais.

Porém, na maioria das vezes, a lombalgia surge por complicações no sistema musculoesquelético. Alterações na postura da coluna vertebral ou problemas específicos, como hérnia de disco, são algumas das causas.

Assim, é preciso atenção constante com a postura e o esforço da coluna, para que a dor não se torne crônica.

Quando a pessoa assume uma postura incorreta em atividades cotidianas, acaba sobrecarregando algumas estruturas de sustentação da coluna, como músculos e ligamentos.

Essa carga inadequada leva a quadros dolorosos e, lentamente, vai degenerando discos e articulações, gerando quadros de dor crônica.

Qual tratamento indicado para a lombalgia?

O reequilíbrio da estrutura de sustentação da coluna e a correção postural são fundamentais no tratamento da lombalgia. Atividades como RPG, natação, pilates e yoga tendem a ajudar na melhora do quadro.

Além disso, analgésicos e anti-inflamatórios só devem ser ingeridos quando prescritos pelo médico. Durante crises agudas, o indicado é o repouso absoluto, de preferência, a pessoa deve deitar-se na cama e esperar até que a dor diminua.

Para ajudar o processo e relaxar a região lombar, ela pode tentar deitar-se de lado em posição fetal (com as pernas encolhidas) e abraçar os joelhos.

Artrite

Artrite 

Essa doença é conhecida por afetar, principalmente, as articulações. Entretanto, pode comprometer qualquer órgão do corpo. Por ser caracterizada como autoimune, ela é decorrente de complicações do organismo, ou seja, as células atacam o próprio sistema, causando consequências como inflamação de qualquer articulação.

Cerca de 1% da população sofre com esse problema que, geralmente, começa por volta dos 40 anos de idade, mas que pode afetar pessoas de qualquer faixa etária, desde a infância até a terceira idade. “Ela é uma doença crônica que necessita de um tratamento e de acompanhamento médico contínuo. Sem tratamento, a doença evolui para deformidades graves e irreversíveis “, acrescenta o profissional

Quem pode ter artrite?

O gênero da pessoa pode influenciar no seu surgimento, isto é, as mulheres são mais afetadas pela artrite do que os homens. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), 75% dos pacientes são do sexo feminino, sendo que a incidência fica maior acima dos 40 anos.

Outro fator de risco para o desenvolvimento da doença é o grau de parentesco. Como assim? Uma pessoa que tem algum parente com artrite apresenta maiores chances de desenvolver o problema.

Isto é, uma das causas para o surgimento da enfermidade é a própria genética. Além disso, existem algumas doenças que podem contribuir com o desenvolvimento desse quadro, como a gota, em que pequenos cristais se formam nas articulações; o lúpus; e a hepatite viral, na qual uma infecção do fígado pode gerar a artrite. 

Principais sintomas da artrite?

É uma dor constante que, geralmente, se manifesta pela manhã. O paciente acorda com as articulações rígidas, as mãos duras e doloridas, sendo que só depois de algumas horas é que começa a voltar ao normal.

Se não tratada, a doença pode evoluir para deformidades graves e irreversíveis.

Para prevenir da artrite?

Os hábitos ao longo da vida podem adiar o surgimento da artrite, sabia? Por isso, manter uma alimentação rica em vitaminas C e D diminui em três vezes o surgimento ou a piora da doença.

Além disso, praticar atividades físicas com frequência e combater o excesso de peso são medidas capazes de reduzir as chances da doença.

Entretanto, uma vez detectada, é preciso seguir o tratamento indicado pelo médico. Os cuidados são feitos por meio do uso contínuo de anti-inflamatórios e da prática constante de exercícios que ajudam a fortalecer as regiões afetadas, gerando, assim, maior mobilidade e bem-estar ao paciente.

Lembrando que essas medidas têm o objetivo de reduzir os incômodos gerados pela doença, já que a artrite é uma patologia crônica e sem cura.

Artrose

Artrose 

Ela é a alteração degenerativa da articulação, caracterizada pela redução progressiva da cartilagem articular.

Ou seja, trata-se de um desgaste na estrutura responsável pela proteção dos ossos, evitando que um entre em atrito com o outro. Além disso, as cartilagens também promovem uma redução no impacto sofrido durante as atividades diárias.

A doença pode apresentar dor e inchaço, principalmente no início do dia ou ao iniciar um movimento. Também manifesta-se com estalos durante a ação e instabilidade da articulação, com risco de torções e quedas. A deformidade nas juntas pode ocorrer em casos de longa duração e sem tratamento adequado.

Como diagnosticar e tratar a artrose

A partir de exames físicos já é possível detectar a doença, principalmente pelos sintomas, que são característicos, e pelas mudanças que podem ser observadas nas cartilagens por meio de testes clínicos. Depois de detectada a artrose, é preciso encontrar o melhor tratamento.

A mudança de estilo de vida é o recomendado, Pilates, hidroginástica, caminhadas leves, enfim, exercícios de baixo impacto.

É preciso evitar corrida e caminhadas longas, pois a articulação pode piorar.

Atenção especial a artrose

A artrose, geralmente, é encontrada em indivíduos idosos, pois o desgaste da cartilagem acontece de forma lenta e progressiva ao longo dos anos.

Mas pessoas jovens que praticam exercícios intensos, principalmente atletas, como os jogadores de futebol, podem desenvolver a doença precocemente, geralmente em joelhos e tornozelos.

Tendinite

Tendinite

Você sabe como a tendinite afeta o organismo? O uso repetitivo de um determinado tendão é um dos motivos que pode resultar em sua inflamação, dando início às dores clássicas da tendinite.

O sistema musculoesquelético é responsável pela execução de movimentos de todas as formas, desde os mais grosseiros, com uso de força, aos mais simples, como execução de um carinho.

Esse sistema com uma harmoniosa sintonia entre os músculos e suas origens e inserções no tecido ósseo.

Estes cabos de origem e inserção muscular são chamados tendões, que, por sua vez, recebem sua nutrição principal, por meio de uma membrana sinovial.

A agressão a esse sistema, seja por trauma (como contusões e estiramentos), ou por uso exagerado da sua função (repetição), pode gerar uma inflamação no tecido tendinoso ou na camada de nutrição dos tendões, causando uma tendinite.

Fuja do sedentarismo para acabar com a tendinite 

A falta de atividade física também pode ser uma das causas da doença. As possíveis causas da tendinite são a falta de uso e também o excesso de uso dos tendões.

Para exemplificar o termo, falta de uso é, por exemplo, um tendão que não tem sofrido carga e de repente, necessita realizar algumas atividades rotineiras que não eram usuais.

Um bom exemplo disso são as pessoas sedentárias que iniciam a prática esportiva com muito esforço sem antes um preparo adequado para que os músculos e tendões se adaptem ao exercício.

Como se prevenir da tendinite

Você pode prevenir a tendinite com exercícios que compensam a falta de alinhamento de membros, ou seja, que alongam e fortalecem músculos e tendões, além de buscar uma educação para execução correta de movimentos, tanto nos esportes quanto no trabalho ou dia a dia!

Curtiu? Então Comenta!!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *